Coleção Tim Maia

Depois do sucesso da Coleção Chico Buarque, a Abril Coleções apresenta a Coleção Tim Maia composta por 14 discos e um volume inédito: Tim Maia Racional 3, extraído do acervo da família e remasterizado para a coleção. O consumidor  deverá se cadastrar no site www.colecaotim.com.br e registrar o código promocional que vem afixado em cada volume e ao totalizar 14 códigos registrados, receberá gratuitamente em casa o disco Racional 3.

Os álbuns vêm com as capas originais encartadas em livretos com 48 páginas repletas de fotos inéditas, informações sobre os discos e textos que contam a história do músico.

O carioca Sebastião Rodrigues Maia ou simplesmente Tim Maia é um raro espécime da música brasileira. Em 1957, forma os Sputniks com Roberto e Erasmo Carlos. Em 1959, vai para os Estados Unidos e grava alguns compactos, mas o envolvimento com drogas faz com que seja condenado e deportado em 1964. O disco de estreia saiu somente em 1970 pela Polygram (Universal). Tim Maia, com sua voz grave foi capaz de misturar a força da soul music e do balanço do funk com ritmos brasileiros. Ele é lembrado não só pelo talento, mas também por sua irreverência politicamente incorreta que fez dele uma figura ímpar no meio musical.

Tim Maia 1970 abre com Coroné Antônio Bento com batida samba rock, temperado com música regional nordestina e vocal ao estilo que lembra Tony Tornado. Traz também Cristina; dois dos eternos sucessos do cantor Primavera (Vai Chuva) e  Azul da Cor do Mar, e fecha com Tributo a Booker Pittman (saxofonista e clarinetista americano e de quem a cantora Eliana Pittman herdou o nome), uma balada esfumacenta em que o naipe de metais, característico do repertório de Tim Maia, dá lugar a um classudo saxofone.

Tim Maia 1971 traz A Festa de Santo Reis e Salve Nossa Senhora, músicas de mesma pegada de Coroné Antônio Bento; a festiva Não Quero Dinheiro, Só Quero Amar; Não Vou Ficar, composição de Tim e gravada por Roberto Carlos em 1968; Você, outro grande sucesso e I Don’t Know What To Do With Myself.

Em Tim Maia 1973, ele se consolida como pai do soul brasileiro com o samba-soul de Réu Confesso e Gostava Tanto De Você.

Racional é da fase do envolvimento com a seita Universo em Desencanto baseada no ufanismo. Foram dois álbuns que serviam ao propósito de divulgar a seita e gravados durante os seis meses em que seguiu os preceitos da cultura Racional, entre 1975 e 1976, e um terceiro lançado agora nessa coleção. O próprio cantor renegou os discos que considerava equívocos em sua carreira. Tim Maia Racional, no que diz respeito à parte instrumental, são momentos dos mais inspirados da carreira do cantor. Daquele período grandes canções ficaram na memória como Imunização Racional (Que Beleza); Bom Senso; Energia Racional; Quer Queira Quer Não Queira e Que Legal.

O “Sindico” recebe uma homenagem, porém dois grandes trabalhos são deixados de lado, não se sabe o porquê. A ausência de Tim Maia 1972 das músicas Canário do Reino e Do que Me Importa, sucesso na voz de Marisa Monte, e These Are the Songs gravada por Elis Regina; e Tim Maia 1977, um disco com a atmosfera Motown setentista – Verão Carioca e Feito Pra Dançar e a bela Venha Dormir em Casa.

Tim Maia Disco Club (1978), Acenda o Farol e Sossego eram convites para cair na dança. O ritmo “discoteque” divulgado pela casa noturna Frenetic Dancing Days Discothèque, de Nélson Motta e massificado pela novela Dancing Days, inspirada na boate, se tornaria  moda no final da década de 1970. Oportunista ou não, o disco poderia ter ficado de fora da coleção juntamente com os dois álbuns de canções americanas Tim Maia (1978) e What a Wonderful World (1997); os dois registros ao vivo. Apesar de Tim Maia ser um grande “show man”; inexplicável a presença de Nuvens (1982), Dance Bem (1990), e o morno e passável Tim Maia Interpreta Clássicos da Bossa Nova (1990).

Concurso cultural

No dia do lançamento, entra em vigor o concurso cultural Tim Maia Vale Tudo, no site www.colecaotim.com.br. Os dois vídeos mais criativos enviados para o concurso serão premiados com uma coleção completa. Vale tudo mesmo: performances, imitação, edição de vídeo, e tudo o que sua criatividade permitir.

Os volumes da coleção:

1. Tim Maia 1970
2. Tim Maia 1971
3. Tim Maia 1973
4. Racional 1
5. Racional 2
6. Tim Maia Disco Club (1978)
7. Tim Maia  1978
8. Nuvens (1982)
9. Dance Bem (1990)
10. Tim Maia Interpreta Clássicos da Bossa Nova (1990)
11. Tim Maia Ao Vivo (1992)
12. Só Você (1997)
13. What a Wonderful World (1997)
14. Tim Maia in Concert (2007)

Lançamento: dia 28 de janeiro de 2011, no estado de São Paulo e região Sul.
No restante do Brasil a partir de maio. O primeiro volume Tim Maia 1970 custará
R$ 7,90 e os demais R$ 14,90 e estarão nas bancas, semanalmente, às sextas-feiras.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *